Falando sobre Animais Fantásticos e Onde Habitam

Animais Fantásticos e Onde Habitam, ambientado setenta anos antes do nascimento de Harry Potter e em outro continente, o filme nos transporta novamente para a imaginação de J.K Rowling ao começar uma trama independente daquela que conhecemos 15 anos atrás.

O filme tem como personagem principal o magizoologista britânico Newt Scamander, que viaja para Nova Iorque com apenas uma maleta, mas que está repleta de criaturas mágicas. Por um descuido, ele acaba deixando alguns animais escaparem e parte em uma missão para recuperar seus ‘animais fantásticos’, com a ajuda do non-maj (como é chamado os trouxas na américa) Jacob Kowalski. Newt também conhece Tina e Queenie Goldstein, duas irmãs bruxas que moram em Nova Iorque e trabalham na MACUSA (o Congresso Mágico dos Estados Unidos da América). Os bruxos dos EUA na década de 20 precisam viver em segredo devido à caça às bruxas instaurada na época.

maxresdefault.jpg

É difícil superar o amado trio de heróis dos oitos filmes da saga Harry Potter, mas em  Animais Fantásticos  Rowling entrega aos fãs um quarteto digno formado por Newt, Tina, Queenie, e Jacob. Eles têm uma ótima química como um grupo e trazem uma flutuabilidade e charme para o filme. Eddie Redmayne aplica a sua timidez habitual para o Newt. O engraçado e adorável Jacob do Dan Fogler é a certeza de ser um favorito dos fãs e ele é o centro de algumas das melhores sequências do filme. Katherine Waterson como Tina é determinada a buscar seu lugar de volta na MACUSA e em ajudar o protagonista e Queenie da Alison Sudol, a personagem carismática e que tem poderes de ler mentes é uma das grandes surpresas do filme.

Outra relação bem explorada entre personagens no filme é entre Percival Graves e Credence, Ezra Miller como Credence incorpora um personagem contido e de personalidade fascinante (acredito ainda mais no Ezra como Barry Allen em Liga da Justiça). Colin Farrell, como Percival Graves também está muito bem mesmo sendo um personagem um bocado ambíguo.

551210-jpg-c_620_260_x-f_jpg-q_x-xxyxx

Mesmo que a trama principal do filme seja sobre Newt tentando rastrear e recuperar suas criaturas, há quatro enredos que funcionam durante o filme. Além de Newt e seus animais, tem Grindelwald (um enredo que será executado através de todos os cinco filmes da franquia), Credence e Tina. J.K Rowling faz um ótimo trabalho no roteiro, para aprofundar todos esses personagens com um tempo de tela de um pouco mais de duas horas.

fantastic-beasts-and-where-to-find-them-niffler-600x251

Diferente de outros spin-offs e franquias que apenas repete uma fórmula e um roteiro que deram certo no passado, Animais Fantásticos surpreende os espectadores com uma trama totalmente nova, novos personagens, novos animais, novos conflitos e uma maneira inédita de encarar a magia, sob a ótica da população norte-americana, que é exigente em relação a imigrantes e que permite a pena de morte.

Dirigido por David Yates, o mesmo diretor dos últimos quatro filmes da saga Harry Potter, Animais Fantásticos e Onde Habitam tem a parte técnica impecável, uma trilha sonora belíssima composta por James Newton Howard, efeitos especiais de tirar o fôlego com bom uso do 3D, figurinos e reconstituição de época incríveis. Este primeiro longa tem como função introduzir um novo universo mágico e apresentar novos animais, então algumas cenas são justificáveis e não chegam a ser um problema.

Claro que o filme tem como público alvo os fãs de Harry Potter, porém ele tem a capacidade de encantar quem não é fã (como eu) ou quem ainda não conhece este mundo mágico. Pelo fato da maioria dos fãs da saga Harray Potter já serem adultos, o longa também é mais maduro, com toques sombrios e violentos. A história é divertida, emocionante e cativante, e conseguiu ser bem separada da franquia anterior, embora tenha alguns elementos iguais por se tratar no mesmo universo.

Minha Nota: 8/10

Pedro Furtado