Especial Doctor Who? – Parte 2/5

Antes de acompanhar esse texto confira a parte 1!

A 1ª Temporada

Foi no longínquo ano de 2005, há 13 anos atrás, que Rose Tyler (Billie Piper de Penny Dreadful) ficou presa à noite, na loja de departamentos em que trabalhava para ser atacada por um grupo de manequins vivos e subitamente salva por um estranho homem alto, de cabelos curtos, orelhas grandes, jaqueta de couro e que se apresentava somente como o Doutor (Christopher Eccleston de The Leftovers). Não foi um episódio tão marcante, o orçamento claramente era limitado, era esquisito ver o Doutor e Rose correndo de mãos dadas e sorrindo e nem de longe pode ser considerado um dos melhores episódios do revival de Doctor Who. Mas mesmo assim tem sua importância por ser o começo de algo novo e duradouro.

9thanddalek

Veja a primeira cena de Christopher Eccleston como o Doutor:

O que você precisa saber sobre a 1ª temporada da Era Moderna de Doctor Who?

9thandrose

O revival da série ocorreu 9 anos após o pouco bem sucedido filme de 1996 com Paul McGann assumindo o papel-título. Talvez, por conta disso, a BBC e Russell T Davies (showrunner das 1as 4 temporadas da Era Moderna) optaram por seguir a narrativa com um novo background cercado de mistério que viria a durar muitos e muitos anos até ser esclarecido. Vamos a ele:

O Doutor agora é conhecido como O Último dos Senhores do Tempo. Ele menciona brevemente para Rose no 2º episódio, O Fim do Mundo, após contemplarem a Terra se extinguir no futuro (o que é um evento assistido por várias raças alienígenas no melhor estilo Douglas Adams em O Restaurante no fim do Universo), que Gallifrey e os Timelords foram destruídos no fim da Guerra do Tempo. Esse dado é interessante porque nos ajuda a entender um pouco como funciona a personalidade do Nono Doutor (assim como eu você também vai se habituar a identificar os Doutores por números ou pelo nome dos atores).

Embora ele seja fantástico, autoconfiante e geralmente bem humorado, ele tem pouca paciência com a ignorância alheia, não hesita em ofender quem o incomoda como Mickey Smith (Noel Clarke de Bulletproof), o namorado de Rose, e quem comete erros que ele julga patéticos como quando Rose tenta se aproveitar do poder da Tardis para voltar ao passado e mudar a história para recuperar seu pai no episódio Father’s Day, o que gera uma série de contratempos que nem o Doutor consegue corrirgir até que o próprio pai de Rose resolve se sacrificar para restaurar a ordem normal da história.

O Doutor também fica bastante chateado e amargurado em situações em que há vítimas (isso quando ele não trata a situação com desdém em alguns casos). Por isso é revigorante quando ele fica genuinamente feliz e satisfeito quando resolve o caso que se estende em dois episódios, The Empty Child e The Doctor Dances porque simplesmente não houve vítimas fatais. Feliz o suficiente para dançar com Rose logo após resgatar o Capitão Jack Harkness (John Barrowman de Arrow) que quase se tornou a única vítima dessa história em duas partes.

Outro fator importante da personalidade dele a se considerar pode ser visto em seu medo, ódio e repulsa pela outra raça responsável pela Guerra do Tempo: os Daleks.

No sexto episódio dessa 1ª temporada, o Doutor e Rose localizam em uma base do governo o último sobrevivente dos Daleks. Você talvez não se intimide com a aparência do inimigo mortal do Doutor já que ele parece um saleiro gigante com um olho de luneta e um desentupidor e batedor de ovos como armas, mas essas criaturas já foram antagonistas desde a Série Clássica e você continuará as vendo por um bom tempo sempre gritando “EXTERMINATE”!

O Doutor reencontra um Dalek após o fim da Guerra do Tempo: 

No final da 1ª temporada é revelado que o Imperador dos Daleks sobreviveu à Guerra do Tempo e tem reconstruído seus asseclas formando um novo e gigantesco exército para espalhar o caos e a destruição pelo Universo. O Doutor, Rose e o Capitão Jack Harkness lutam bravamente contra os Daleks, mas parece não haver saída.

Assista a um trecho do Doutor e os Daleks: 

Em uma última cartada, o Doutor envia Rose e a Tardis de volta para o passado onde ela poderá seguir normalmente com sua vida. Ela, no entanto, com a ajuda de Jackie Tyler e Mickey Smith consegue abrir o painel de controle da Tardis e absorve o vórtex do tempo, se tornando praticamente uma deusa. Ela volta para o futuro, elimina os Daleks e seu Imperador, ressuscita o Capitão Jack e salva o Doutor. No entanto, o excesso de poder está degenerando seu corpo a nível celular e o Doutor não tem outra escolha a não ser retomar o poder dela através de um beijo e devolvê-lo à Tardis.

Tudo está bem. Os Daleks foram vencidos. Rose desperta na Tardis em movimento seguindo para onde ela e o Doutor forem necessários. Tudo parece bem, mas há algo errado com o Doutor.

“Rose, eu só queria dizer que você foi fantástica. Absolutamente fantástica! E sabe do que mais? Eu também!”.

Com essas palavras, o processo de degeneração celular atinge seu ápice e começa a regeneração. Um choque para quem estava vendo Doctor Who pela primeira vez e não compreendia exatamente o motivo de outros atores diferentes assumirem o papel-título. É o adeus de Christopher Eccleston e as boas vindas ao Décimo Doutor: David Tennant.

Assista à Regeneração aqui:

Episódios Recomendados:

1×01. Rose
1×02. The End of the World
1×03. The Unquiet Dead
1×06. Dalek
1×08. Father’s Day
1×09. The Empty Child
1×10. The Doctor Dances
1×12. Bad Wolf
1×13. The Parting of the Ways

Curiosidades:
– A Tardis, em toda sua genialidade e inteligência, possui um campo de tradução que permite que tantos seus viajantes quanto os interlocutores de qualquer época e lugar do espaço consigam se entender e conversar.Pense nisso como o Babel Fish de O Guia do Mochileiro das Galáxias.
– As palavras Bad Wolf consistem em um elemento recorrente da narrativa que é citado ou visto ao menos uma vez em cada episódio. No final da temporada você descobre que a entidade que Rose se torna ao absorver o vórtex do tempo quando olha no núcleo da Tardis lhe permitiu espalhar essa mensagem por todo o espaço-tempo e encontrar um meio de retornar ao Doutor na luta contra o Imperador dos Daleks.
– Essa foi a 1ª e única temporada de Christopher Eccleston como o Doutor. Ele não aceitou participar de outros episódios posteriores ou especiais de Natal, embora estivesse disposto a seguir com o papel se esse fosse o desejo da BBC. Por conta de diferenças entre o ator e o estúdio ficou decidido que a 1ª temporada se encerraria com a Regeneração do Doutor.
– O Nono Doutor é o único cuja Regeneração não foi mostrada em tela (pelo menos até um certo especial de 50 anos da série). Com o início da Era Moderna não sabemos ainda de todo o background entre o filme de 1996 e a série de 2005, a Guerra do Tempo e o que aconteceu ao Oitavo Doutor. De forma sutil em alguns episódios fica implícito que o Doutor se regenerou recentemente e ainda está se habituando à nova aparência.

david-tennant-billie-piper

A 2ª Temporada

O processo de Regeneração não é fácil para ninguém: nem para os Timelords e nem para os fãs de Doctor Who. Christopher Eccleston foi o 1º Doutor de muita gente e sua partida repentina, para quem não estava de sobreaviso sobre a natureza da série e da mitologia pré-estabelecida, pode ter sido chocante. Embora eu soubesse que havia outros intérpretes do Doutor, não sabia ao certo como funcionava essa troca de atores até o fim da 1ª temporada.

Não é tarefa fácil se despedir daquilo que você já conhece e tampouco se habituar ao novo elemento que lhe é apresentado. Em Doctor Who você deverá se acostumar com as despedidas tanto dos Doutores quando dos Companions: eventualmente eles vão seguir em frente e nós também. Mas honestamente? Que bela surpresa foi David Tennant no papel do Doutor. Provavelmente um dos maiores acertos da história da série.

O que você precisa saber sobre a 2ª temporada da Era Moderna de Doctor Who?

O Décimo Doutor ainda traz consigo as marcas deixadas pela traumática Guerra do Tempo, mas sua personalidade é mais vivaz, excêntrica, alegre e espontânea. Tennant sabe transmitir como ninguém toda a empolgação do Doutor bem como seus momentos de fúria, de rancor e até olhares apaixonados. É com esse Doutor que algumas sugestões de romance começam a dar as caras (embora não sejam desenvolvidos de fato).

No 1º Especial de Natal da Era Moderna de Doctor Who, o Doutor ainda está no período de recuperação pós-Regeneração quando uma ameaça alienígena é transmitida ao mundo todo na primeira missão para Marte. Temos aqui desde aliens vestidos de Papai Noel até árvores de Natal assassinas e a maior parte da ação fica com Rose, Jackie e Mickey (e eventualmente Harriet Jones, a Primeira Ministra) enquanto o Doutor se recupera. Durante a Invasão Sycorax à Terra manipulando boa parte da humanidade com controle sanguíneo, a Tardis é abduzida até a nave e o Doutor, já recuperado, e o líder dos Sycorax duelam pelo destino da Terra.

Assista a um trecho do especial:

A mão do Doutor é cortada e se perde, mas uma nova mão cresce no lugar já que o ciclo de Regeneração ainda estava nas primeiras 15h (note que o destino da mão do Doutor ainda será retomado no futuro). Pra finalizar, o Instituto Torchwood (guarde esse nome) destrói a nave fugitiva dos Sycorax a mando da Primeira-Ministra Harriet Jones e o Doutor, irado com a decisão dela, acaba por causar sua queda do cargo.

Rose teve dificuldade de aceitar a mudança de Doutor, mas acabou se acostumando rápido. Com um novo figurino e muita disposição, os dois saem com a Tardis em busca de novas aventuras como na Nova Terra e na Nova Nova York (onde reencontram Cassandra, a última humana vista na 1ª temporada testemunhando o fim da Terra), voltam à Inglaterra do século 19 onde têm um encontro com a Rainha Vitória e lidam com um lobisomem alienígena.

Depois disso, de volta aos dias de hoje, o Doutor e Rose encontram uma antiga companheira vinda diretamente da Série Clássica: Sarah Jane Smith e K9, o antigo cão robótico do Doutor. Rose e Sarah Jane se estranham a princípio, mas acabam trocando confidências sobre o Doutor e se tornando boas amigas enquanto lidam com uma ameaça alienígena em uma escola. Aqui Rose lida pela 1ª vez com a possibilidade de não poder acompanhar o Doutor para sempre.

No episódio 2×04, The Girl in the Fireplace, temos o primeiro de vários momentos dramáticos da vida do Décimo Doutor: agora acompanhados de Mickey, o Doutor e Rose atendem a um chamado de uma nave à deriva no século 51 cujas salas acessam diferentes momentos do século 18 em Versailles, onde o Doutor conhece Reinette, a Madame de Pompadour, e a salva várias vezes dos dróides de reparo da nave que usavam órgãos da tripulação para substituir peças da nave e fazê-la voltar a funcionar. O Doutor acaba se envolvendo romanticamente com Reinette. Obrigado a quebrar uma das janelas do tempo para cortar a ligação com a nave, o Doutor, que tinha intenção de levar Reinette consigo para viajar pelo Universo, acaba voltando tarde demais: ela já havia falecido. Aqui aprendemos que certos pontos da História não podem ser alterados, mesmo com uma nave que viaja pelo espaço e pelo tempo.

Nos episódios 2×05 (Rise of the Cybermen) e 2×06 (The Age of Steel), o Doutor, Rose e Mickey caem por acidente em um Universo Paralelo onde a tecnologia da Terra nos dias de hoje é consideravelmente mais avançada. Com a Tardis desenergizada e precisando de um ciclo de 24 horas para recarregar, Rose e Mickey saem mesmo alertados pelo Doutor e encontram versões paralelas de seus parentes: Rose descobre que seu pai ainda vive naquele Universo (embora ela não exista ali) e Mickey encontra uma versão paralela de sua falecida avó. O Doutor, por sua vez, descobre que a Cybus Industries criou versões paralelas de velhos inimigos seus: os Cybermen (seres cibernéticos que assimilam seres vivos e os tornam parte de seu exército). Se a fala principal dos Daleks é EXTERMINATE, a dos Cybermen é DELETE.

ageofsteel

A ameaça é contida em um esforço conjunto do Doutor, Rose, Mickey e os novos aliados que fizeram nesse universo, dentre eles Pete e Jackie Tyler, os pais de Rose. Mickey admite que não se encaixa no relacionamento próximo do Doutor e Rose e opta por ficar naquele Universo perto da avó e disposto a caçar os Cybermen ao redor daquele mundo.

doctorwho-rose2

Nos episódios 2×08 (The Impossible Planet) e 2×09 (The Satan’s Pit), o Doutor e Rose ficam presos em um planeta que orbita um buraco negro e descobrem que os Oods, uma raça de alienígenas subserviente aos humanos dali, está passando por uma influência maléfica e sabotando as instalações. Essa influência do mal nada mais é do que o próprio Diabo e o episódio duplo me fez lembrar de clássicos do terror espacial como Alien e O Enigma do Horizonte.

Aquele episódio em que o Doutor encontrou o Diabo:

Daleks_Vs_Cybermen

Para finalizar a 2ª temporada temos mais uma história contada em dois episódios: 2×12 (Army of Ghosts) e 2×12 (Doomsday). Quando supostos fantasmas de entes queridos surgem ao redor do mundo, o Doutor e Rose rastreiam sinais até o Instituto Torchwood e descobrem uma trama sinistra: os fantasmas são na verdade os Cybermen do Universo Paralelo usados como fonte de energia para ativar uma Void Ship e criando uma ruptura entre os universos paralelos. Quando a Void Ship é ativada, a mesma libera o Culto de Skaro: um grupo de Daleks portadores da Arca Gênesis, que nada mais é do que uma Prisão dos Senhores do Tempo que contém milhares de Daleks.

tenthdw3d

Com a ativação da Arca Gênesis, Exércitos de Daleks e Cybermen espalhados pelo mundo entram em conflito e guerream entre si causando o caos. O Doutor abre o Void para sugar tudo que tem traços do Universo Paralelo para uma dimensão onde os Daleks e Cybermen ficarão presos para sempre e a ruptura entre universos será fechada. No processo, Rose acaba quase sugada para essa dimensão, mas Pete Tyler a salva no último momento. E assim, em uma das cenas mais tristes da série, Rose se separa do Doutor e fica presa no outro universo.

Assista e chore conosco:

Eles ainda conseguem se despedir posteriormente. O Doutor consegue projetar sua imagem para o Universo Paralelo usando a energia de uma estrela morrendo. Mas não consegue se manter tempo o suficiente para dizer a Rose o que sentia por ela.

Assista ao adeus do Doutor e Rose:

E embora corações tenham se partido com essa despedida, não há muito tempo para ficar lamentando: uma mulher com vestido de noiva surge inesperadamente dentro da Tardis.

Episódios Recomendados:
2X00. The Christmas Invasion [Especial de Natal]
2×01. New Earth
2×02. Tooth and Claw
2×03. School Reunion
2×04. The Girl in the Fireplace
2×05. Rise of the Cybermen
2×06. The Age of Steel
2×08. The Impossible Planet
2×09. The Satan Pit
2×12. Army of Ghosts
2×13. Doomsday

Curiosidades:
– A exemplo da 1a temporada, a palavra-chave aqui será Torchwood. Esse anagrama de Doctor Who é mencionado várias vezes ao longo dos episódios e revela-se, no final, como uma agência de inteligência britânica dedicada a combater ameaças alienígenas. Posteriormente foi desenvolvido um spin-off com esse mesmo título e protagonizado por John Barrowman, o Capitão Jack Harkness. Torchwood tratava de temas mais pesados e adultos e durou 4 temporadas (2006-2011).

– Outro spin-off que nasceu dessa temporada foi The Sarah Jane Adventures, graças ao reencontro do Doutor com sua antiga companion da Série Clássica, interpretada por Elisabeth Sladen. Acompanhada do cão robótico do Doutor, K9, e um grupo de crianças, sua série com temática infanto-juvenil durou 5 temporadas (2007-2011).

Na 3ª parte dessa série de textos falaremos da 3ª e 4ª temporadas de Doctor Who, ainda abordando a parcela da série comandada pelo showrunner Russell T Davies, as novas companions do Doutor e os últimos momentos de David Tennant. Até lá!

Por: Israel Pinho